segunda-feira, 11 de maio de 2009

Comemorar a morte

A Teresa esteve cá com o namorado de Sexta para Sábado e fez-me reparar numa coisa que eu nunca tinha reparado. Estranho até, porque costumo olhar sempre para os painéis de publicidade. A verdade é que nunca tinha pensado nestes.


Descobri então, que afixam o aniversário das mortes das pessoas no meio da rua. Tal e qual publicidade.
Mas a Teresa reparou num específico que comemorava a morte do Hitler. Claro que ficámos todos escandalizados, como é que é possível mostrar-se, publicamente, a tristeza pela morte de Hitler.
Voltámos à Piazza Italia para ler o cartaz novamente.



I Patrioti Europei, ricordando tutti i caduti della guerra civile europea di tutte le parti politiche ... lota.


A Teresa achou que era melhor do que pensava. Mas mesmo assim, comemorar a morte de Hitler, era de mau gosto.

Não sei, eu entendi a mensagem como "um ainda bem que Hitler morreu, acabaram as mortes e estamos de luto pelos que morreram a lutar contra ele"..

Mas não sei, não sei o que pensar sobre esta mensagem.

Teresa was here with her boyfriend from Friday to Saturday and because of that I noticed something that I never did before. Usually I always look at the posters on the wall. But I never thought about these before.I found out that they put the death's people date on these posters. Just like advertising!
Teresa look at a specific one. Adolf Hitler's death. We were kind of shocked. How can someone do that? But then, we wnet back to Piazza Italia again.

I Patrioti Europei, ricordando tutti i caduti della guerra civile europea di tutte le parti politiche ... lota.

For Teresa it was better than she thought. But bad, anyway.
I don't know. I understood it like "I'm glad that he died, there's no more deaths and we cry for who died fighting him".
But I don't know, I don't know what to think about this..

6 comentários:

Madalena Virtuoso disse...

Esta ideia do inglês vai-me dar muito trabalho :(

JJT disse...

basta conhecer um pouco da realidade politica italiana para saber que infelizmente há muitos neo-nazis. a claque da lazio de roma por exemplo é conhecida internacionalmente como uma das mais violentas e mais intimamente ligadas a skins e neo-nazis.
até o facto de o país votar tradicionalmente à direita, em contraponto a portugal que por norma vota à esquerda.
beijinhos e resto de bom erasmus

Madalena Virtuoso disse...

Pois, infelizmente apercebi-me disso logo nas primeiras semanas. Estes não são os únicos cartazes que me chocam. Já vi bem piores, como a fotografia de uma rapariga violada e uma frase que diz "E se fosse a sua filha? Diga não à imigração". O que me choca é abertura com que se afirmam.

Cate disse...

Ui, isso do cartaz é bastante mais agressivo! :\

Adoro a tradução simultânea :P

Madalena Virtuoso disse...

a traduçao simultanea e a coisa mais vergonhosa de sempre! lool, mas enfim.. sempre me esforço :)

mami disse...

Eu observei, com curiosidade, nos meus passeios solitários por Perugia. Há em imensos sítios. Sentirmo-nos estrangeiros, em qualquer contexto, dá-nos a disponibilidadea para olhar de outra maneira e descobrir o que para alguns são evidênncias do quotidiano.
Baci